Você provavelmente já deve ter ouvido falar de bobinas, mas será que sabe o que é uma bobina? Neste artigo iremos falar o que é a bobina, iremos explicar como ela funciona, vamos falar da classificação das bobinas e mostrar como testar bobina. Então vamos lá pessoal!

O que é Bobina?

Bobinas são dispositivos que têm por função armazenar a energia produzida por campos magnéticos que são formados por uma corrente alternada.

Também conhecidas como solenoides ou indutores, a bobina só funciona enquanto houver alguma tensão produzida por corrente alternada em seus terminais, que ficam ligados em um fio que é envolto no núcleo da bobina, este núcleo pode ser composto de material ferromagnético ou de ar.

Bobinas, quais são os tipos?

Bobinas Elétricas, Como funcionam? Como testar?

Bobinas Elétricas: Composição

As bobinas elétricas basicamente são constituídas por um fio condutor, que na maioria das vezes é o cobre, e um núcleo ferromagnético ou um núcleo de ar.

O fio condutor é enrolado em volta do núcleo e cada volta é chamada de espira. A formação da bobina por espiras favorece o aumento do campo magnético que é gerado, ou seja, quanto mais espiras, maior é o campo magnético.

Bobinas Elétricas: Classificação

A classificação das bobinas é feita de acordo com os seus núcleos. Os núcleos de uma bobina podem ser feitos de muitos materiais e também podem ser compostos por ar. Veja abaixo os principais tipos de núcleos:

  • Núcleo Ferromagnético: Um núcleo que consegue aumentar a indutância da bobina. Ele tem a capacidade de acumular e aumentar as linhas e a força do campo magnético produzido pelas espiras que o envolvem.
  • Núcleo de ar: Usado em altas frequências, as espiras não têm núcleo físico, somente ar. Ele tem uma baixa indutância e não sofre perdas por causa do núcleo.
  • Núcleo toroidal: Normalmente feito de ferrite em formato de rosca, o que traça um caminho para o campo magnético circular. Ele tem alta indutância e não causa muitas perdas.
  • Núcleo laminado: É usado em aplicações de baixa frequência e reduz as perdas do componente. Ele é constituído por finas lâminas feitas de aço-silício cobertas por verniz.
  • Núcleo de ferrite: Constituído a partir de substâncias de uma cerâmica ferromagnética. Ele é usado em aplicações de altas frequências com um grande desempenho.

Bobina elétrica, como funciona?

Quando uma corrente alternada percorre um fio condutor, ela gera um campo magnético em torno deste, que se mantém enquanto houver variação de tensão. E quando esse fio condutor é enrolado várias vezes em torno de um núcleo ou em torno do ar, ele forma espiras.

Quando essas espiras são percorridas pela corrente alternada, o campo magnético gerado em torno delas vai se acumulando e se expandindo em intensidade, ou seja, quanto mais espiras percorridas pela corrente alternada, maior será o campo magnético. Em decorrência disso a sua intensidade proporcionalmente aumentará também.

Tenha cuidado quando a bobina estiver funcionando, pois quanto maior o campo magnético que a bobina criar, maior será a atração de materiais magnéticos como por exemplo, o aço e o ferro.

Indutância: Definição

Como dito anteriormente, as espiras de uma bobina ao serem percorridas por uma corrente alternada geram um campo magnético em torno de si, e esse campo magnético cria um fluxo que percorre as espiras. A Indutância é medida em henry(H), e a sua definição é a capacidade de uma bobina de N (número indefinido) espiras em criar um fluxo magnético percorrido por uma certa corrente (I).

Como testar bobina elétrica?

Existem algumas maneiras de testar uma bobina elétrica, vamos citar as duas mais usadas, o teste de continuidade e o teste de resistência. Ambos os testes devem ser realizados com um multímetro.

Teste de Continuidade

Com o multímetro no modo de teste de continuidade, coloque uma ponta de prova em cada terminal da bobina e veja se há continuidade, se houver a bobina passou no teste.

O teste de continuidade pode não funcionar em algumas bobinas, isso ocorre por que a resistência da bobina pode ser alta a ponto do multímetro não conseguir passar a corrente necessária para apitar, por isso é aconselhado realizar os dois testes para uma avaliação mais precisa.

Teste de Resistência

Primeiro, verifique o valor ideal da resistência da sua bobina consultando o manual do fabricante. Após isso, coloque o multímetro na escala proporcional ao valor encontrado, e verifique se o valor ideal da resistência condiz com o resultado do teste.

Caso o valor não esteja de acordo com o especificado no manual, consulte um especialista para saber se há a necessidade de troca.

Bobina de Ignição

Uma das bobinas mais conhecidas é a bobina de ignição, a famosa bobina de carro!

A bobina de ignição é uma bobina de indução que faz parte do sistema de ignição de um veículo.

Essa bobina tem por função transformar a baixa tensão da bateria do veículo, geralmente de 12V a 15V em uma tensão entre 12.000V e 40.000V, que é a tensão necessária para gerar uma faísca na vela de ignição.

Em sua constituição, a bobina de ignição possui dois enrolamentos de fio condutor, o enrolamento primário que é feito com um condutor mais grosso em poucas voltas e o enrolamento secundário que é feito com um condutor mais fino em milhares de voltas. Veja um exemplo abaixo.

Meio corte de uma bobina

Veja o interior de uma Bobina de Ignição!

Se ligássemos somente a bateria na bobina não sairia uma alta tensão, pois não haveria uma variação de corrente. O que determina a criação da alta tensão é a abertura e o fechamento do circuito, realizado pelo platinado do circuito que é similar a um interruptor.

Quando o platinado fecha o circuito, a corrente passa pelo enrolamento primário e gera o campo magnético. E quando o platinado abre o circuito, obtém-se a variação, que causa a alta tensão no enrolamento secundário.

Bobina de Ignição: Como testar?

Existem algumas formas de testar a bobina de ignição, vamos citar três formas, o teste de resistência do enrolamento primário, o teste de resistência do enrolamento secundário e o teste de alimentação. Todos os três testes são feitos com um multímetro.

Teste de resistência do enrolamento primário

Localize o enrolamento primário da sua bobina (consulte o manual do fabricante), coloque o multímetro na escala de 200 Ohms do modo Ohmímetro, teste a resistência e veja se está entre 0,2 e 1 Ohm.

Teste de resistência do enrolamento secundário

Localize o enrolamento secundário da sua bobina (consulte o manual do fabricante), coloque o multímetro na escala de 20.000 Ohms do modo Ohmímetro, teste a resistência e veja se está entre 4.000 e 16.000 Ohms.

Teste de Alimentação

Com a bobina energizada, faça o teste de tensão no enrolamento primário e veja se está de acordo com a tensão de alimentação.

Caso o resultado do seu teste fique diferente dos valores de referência, é indicada a consulta à um especialista para avaliar se há necessidade de troca.

Para você ver o funcionamento de uma bobina na prática, veja o vídeo abaixo do Mundo da Elétrica sobre eletroímã e fique por dentro do assunto! Aproveite para curtir o vídeo e se inscrever no canal.

As bobinas são realmente interessantes, não é mesmo? Esperamos ter esclarecido dúvidas quanto a elas, mas caso ainda haja alguma dúvida, deixe aqui nos comentários! Para mais assuntos interessantes como este, continue acessando o site do Mundo da Elétrica.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)