Você sabia que existem diferenças entre um choque elétrico vindo de corrente alternada e um vindo de uma corrente contínua? Neste artigo o Mundo da Elétrica vai te contar sobre essas diferenças, e o que esses choques podem causar em quem sofrer esse acidente. Então, vamos lá pessoal!

Negligência

Apesar do Mundo da Elétrica já ter falado muitas vezes sobre choques, acidentes elétricos e perigos da eletricidade, muitas pessoas ainda não dão a devida atenção às informações passadas!

Quando falamos de normas e formas corretas de trabalhar com a eletricidade, muitos ainda pensam que é besteira e esse pensamento infelizmente é refletido no número de vítimas de acidentes elétricos.

Caso você queira saber o número de acidentes com eletricidade, você pode consultar a ABRACOPEL, que é a Associação Brasileira de Conscientização aos Perigos da Eletricidade. Ela faz levantamentos dos acidentes envolvendo eletricidade há vários anos. O objetivo principal desta instituição é buscar maneiras de reduzir as mortes por acidentes elétricos no Brasil.

Afinal, qual a diferença?

Na comunidade do Mundo da Elétrica foi realizada uma pesquisa sobre quem já havia tomado um choque elétrico na vida, e não foi nenhuma novidade obter o resultado de que 90% das pessoas que responderam já tinham tomado um choque elétrico.

Foi neste momento que nos perguntaram, qual a diferença entre um choque em corrente contínua e um choque em corrente alternada? Para responder este questionamento escrevemos este artigo.

Essa dúvida é realmente muito interessante e é muito importante falarmos mais sobre ela. Preste bastante atenção nas informações deste artigo para que a sua dúvida seja esclarecida!

Veja a diferença dos choques elétricos!

Qual a diferença do choque nessas duas correntes?

Consequências de um choque elétrico

É importante entender que todo o nosso sistema nervoso e motor trabalha com eletricidade, e o nosso corpo também produz a própria eletricidade que permite a comunicação entre os órgãos.

Sendo assim, quando qualquer outra corrente elétrica passar pelo nosso corpo, certamente ela irá afetar o funcionamento adequado do sistema nervoso e motor.

Se uma corrente elétrica conduzida através de um corpo for forte o suficiente para sobrecarregar o sistema nervoso, ela vai interferir no funcionamento dos impulsos elétricos no corpo, resultando no funcionamento incorreto dos músculos. Essa corrente forte que estamos falando é de poucos miliampères de intensidade!

Diferença entre os choques elétricos

Existem diversas variáveis que são muito difíceis de prever ou mesmo de medir, mas elas influenciam no choque elétrico em corrente e tensão contínuas ou alternadas.

Como a corrente alternada afeta o corpo? Depende da sua freqüência, mas saiba que a corrente alternada de baixa freqüência (50 a 60 Hz) pode ser mais perigosa do que a corrente alternada de alta freqüência.

Quando comparada à corrente contínua de mesma intensidade, ela pode ser de 3 a 5 vezes mais perigosa. Isso acontece porque a corrente alternada (CA) de baixa freqüência resulta na contração muscular prolongada, que pode grudar a mão na fonte energizada, prolongando a exposição.

Na corrente contínua (CC) é mais provável que o resultado seja uma única contração convulsiva, que muitas vezes empurra a vítima para longe da fonte atual.

As características da corrente alternada fazem ela ter uma tendência maior para colocar o coração em uma condição de fibrilação, que é basicamente quando a frequência cardíaca fica irregular, sem condições de bombear o sangue.

Já nos casos de choque com corrente contínua, o principal efeito é o de parar o coração. Quando a corrente de choque é interrompida, um coração parado tem mais chance de recuperar os batimentos normais do que um coração fibrilante.

Existe também uma diferença na sensação provocada por correntes de baixa intensidade! A corrente contínua de valores superiores a 5 mA que é o Limiar de Sensação, cria no organismo a sensação de aquecimento. Já a corrente alternada de valores acima de 1 mA, causa a sensação de formigamento.

Veja qual é a sensação ao se levar um choque.

Sensação de um choque nos dois tipos de corrente.

Para vencer a resistência da pele do corpo geralmente é necessária uma tensão contínua de aproximadamente 120VCC, e para a tensão alternada este valor cai para aproximadamente 50VCA.

Veja até quando o corpo suporta uma corrente.

Corrente mínima para passar pela resistência do corpo.

É importante entender que toda corrente que passa pelo corpo, seja ela contínua ou alternada é perigosa e o choque elétrico deve ser evitado a todo custo!

Bom, esperamos ter esclarecido as suas dúvidas sobre este assunto, mas para aprender cada vez mais sobre os perigos da eletricidade, assista o vídeo abaixo do canal Mundo da Elétrica, que conta com a presença do incrível Flávio Peralta. Neste vídeo ele conta a sua experiência com o infeliz acidente que o acometeu, vale a pena assistir!

Você conhece alguém que não sabia disso? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais para nos ajudar e a esta pessoa também. Se ainda houver alguma dúvida, deixe nos comentários que responderemos com prazer! Continue acompanhando o site do Mundo da Elétrica para sempre aprender mais.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)